Ir para Conteúdo

Blog

João Gomes
Legal Advisor do .PT
09-12-2022
Tuaregues dos tempos modernos
Corria o ano de 2020, e ainda se arrumavam as casas do Réveillon para um ano promissor, cheio de positividade alicerçada em elevados índices de confiança dos consumidores, valores dos juros em baixa, inflação tímida da qual hoje somos saudosistas, e um aumento da competitividade de Portugal no mundo com o turismo a ser o maior propulsor deste fenómeno. Feita a resenha que está do estado da arte neste petit pedaço de terra encostado ao oceano, que poderia obliterar tal sucesso? 

Pois bem caríssimos, foi algo que só se lia ou se ouvia nas aulas de história, deitamo-nos uma noite com a certeza de que tínhamos todas as liberdades e garantias asseguradas, e no dia seguinte acordamos com os movimentos tolhidos e liberdades limitadas. 

Bom dia, chamo-me Corona Vírus, mas podem-me chamar COVID-19, que vou por cá ficar uns tempos. Como aquele amigo que supostamente estava a fazer couchsurfing, mas que por autorrecreação se vai deixando ficar e quando nos apercebemos já fizemos mudanças no nosso quotidiano, consequência direta deste visigodo que por aqui entrou e por aqui ficou. 

É justamente aqui que mora o busílis deste artigo, todas as organizações tiveram de fazer adaptações, no modo de trabalhar, como trabalhar e onde trabalhar, de repente, apercebemo-nos que foi possível produzir, laborar e ser criativos fisicamente afastados dos headquarters, mas sempre ligados digitalmente. Hoje fica difícil responder de onde somos, ou onde moramos, esta transformação na sociedade, levou-nos a mudar hábitos e a forma de trabalhar, hoje é o novo normal trabalhar a centenas de quilómetros do local físico da organização. 

O mercado de recrutamento agora é quase ilimitado, não há lugar a desculpas tão antigas como a Sé de Braga,” mas é tão longe”, "fica fora de mão…”, "vou mudar a minha vida toda…”. Este discurso só tem lugar num sítio, no passado, se os tempos mudam e nós mudamos com eles, somos novos, por seu turno se os tempos mudarem e nós nos quedarmos no sítio, estamos a ficar envelhecidos. 

Assiste-se hoje a um fenómeno chamado Nómadas Digitais, malta que leva o trabalho à distância para outro patamar, há quem prefira a mesa do comboio enquanto viaja entre Porto-Lisboa (perdoem-me os demais itinerários), eles preferem o interior aconchegante da sua Transporter ou o topo do seu Land Cruiser, uns tem vista para um business center, trânsito e caos, eles preferem vista para uma arriba ou uma pradaria.

Se existe indivíduo que sabe retirar ao máximo o sumo do trabalho à distância é o Nómada Digital, alia toda a envolvência sénica do meio ambiente, viajar, conhecer novas gentes novos costumes e…pasmem-se, trabalha ao mesmo tempo. Quanto maior a felicidade e tranquilidade do colaborador mais produtivo e de maior qualidade será o fruto do seu trabalho. 

Esta nova forma de trabalho é me cara, desde o meu primeiro dia de trabalho que me deparo com este cenário. Iniciei a minha vida como trabalhador em pleno confinamento, estando a mais de 300km da casa mãe onde estava alocado, estando em completo trabalho remoto indo só pontualmente ao local físico para onde labutava quotidianamente. Hoje já noutra casa, na casa da Internet portuguesa, a minha relação com o trabalho à distância mantem-se, no entanto e fruto do término das restrições implementadas durante a pandemia, hoje é me possível manter uma rotina de maior proximidade com a casa que represento, estando semanalmente em contacto físico com a mesma. 

Encontrou-se com esta pandemia um equilíbrio quase perfeito, entre a vida pessoal e a vida profissional, chama-se hoje modelo híbrido, com este, é possível mantermos o nosso quotidiano mesmo que afastado por centenas de quilómetros do local de lavoro, sem perder o contacto com as nossas gentes, sejam estas as do trabalho ou as da família.

Por isso hoje podemos dizer que a nossa secretária é o globo, a aldeia virtual que é o mundo ficou ainda mais próxima, criou-se um ecossistema digital que mudou a nossa forma de ver o mundo laboral e as organizações, sendo que toda esta mudança assenta numa relação de confiança entre a organização e o colaborador. Maior liberdade acarreta uma maior responsabilidade e um respeito maturado pelo trabalho, o mantra a reter é o de que maior liberdade acarreta exatamente na mesma proporção maiores responsabilidades.


"Escolhe um trabalho de que gostes e não terás de trabalhar nem um dia da tua vida”
Confúcio 552 a.C. e 489 a.C




Nota: os artigos deste blog não vinculam a opinião do .PT, mas sim do seu autor.
Voltar aos Posts
{dnspt2018/common/cookies}